A Danza de Luna


O que é

Dançar para a Lua é reviver uma prática ancestral que fortalece nossas raízes e a dignidade feminina como co-criadoras com a Terra Mãe. É um espaço mágico de união e oferenda que honra os elementos da vida, a avó Lua em sua plenitude iluminando nossa alma feminina, que ativa a conexão com os mistérios e as forças da criação. Um tempo de comunhão interna com os poderes do Cosmo, de abertura e de entrega para reconhecer, respeitar e permitir o fluxo dessa energia vital em nós. Tempo de ancorar o poder de sermos nós mesmas em toda nossa beleza e potência com força, alegria e amor.


História

Em 1992, um grupo de mulheres mexicas, decididas a reunir forças pela cura e fortalecimento da essência feminina de cada mulher, da Terra e de todas nossas relações, respaldadas pela espiritualidade do caminho vermelho e pelo estudo dos Códices– registros deixados pelos antepassados – encararam o desafio de resgatar essa prática ancestral que por tempos ficou esquecida e suprimida e abriram a primeira Danza de Luna. Algumas dessas mulheres do círculo originário abriram suas próprias danzas e seguem com o compromisso de sustentar esse altar e de semear círculos de Danza de Luna onde se encontra terra fértil para esse grande rezo.

Teremos a honra e o privilégio de receber uma dessas abuelas pioneiras da Danza de Luna, a abuela Malinalli que leva a grande Danza de Luna Ollintlahuimeztli ao lado da pirâmide da Lua em Teotihuacan, México para abrir e abençoar nosso círculo de Danza de Luna aqui no Brasil juntamente com outras duas mulheres do conselho de Ollintlahuimeztli.

Adriana Ocelot, mulher de medicina do caminho vermelho, iniciada na mexicanidade em 2004, Temazcalera, portadora da Chanumpa, dançante do Sol em Tamoanchan (México) e em Crow Dog´s Paradise (EUA) dançante da lua em Ollintlahuimeztli assume a responsabilidade de levantar e sustentar esse altar no Brasil.


Nossa Dança

De acordo com a tradição, quando entregamos a petição pela abertura da Dança, entregamos também o propósito do rezo coletivo em se plantar esse altar.

Nossa Dança de Lua, em honra à essência feminina geradora e nutridora de vida, se levanta pela purificação e o livre fluir das águas, das nossas águas internas, nossas águas vermelhas, nossas emoções e das águas da nossa grande mãe para que sejam curadas, renovadas, protegidas e abençoadas.

Nossa Dança acontecerá de 6 a 9 de Maio de 2020, lua cheia, meio de Outono  no sul, o tempo que corresponde às danzas da luna no México que acontecem em Outubro. A lua cheia de maio é a lua propícia para o mover dessas águas com amor, compaixão e profundidade. O Outono corresponde à direção do Oeste, o lugar da abundância de natureza, da entrada no mundo dos mistérios e dos poderes de regeneração da vida nas novas sementes a serem plantadas.


Nosso cotidiano durante os dias de Dança

Dançamos por quatro noites sob a luz da lua cheia mais brilhante do ano. Fazemos dois Temazcales por dia, um ao anoitecer e outro ao amanhecer ao final da noite de dança. Esses Temazcales são breves, mas essenciais para manter nossos corpos purificados, nossos espíritos alinhados com nosso rezo pessoal e coletivo e nosso círculo fortalecido e integrado em união, alegria e amor. Sugerimos jejum de alimento bebendo apenas água e os chás medicinais que serão preparados e servidos durante a dança para que nossos corpos estejam purificados e possamos absorver toda a energia da nossa oferenda. Para aquelas que não queiram jejuar, uma refeição leve será servida à tarde. Durante o dia, temos o tempo do descanso e o tempo dos círculos de partilha. Estes são oferecidos pela abuela onde serão dadas instruções às novas dançantes e por mulheres dançantes sobre temas relacionados ao feminino. Serão de dois a quatro círculos de partilha por tarde podendo as dançantes participar de qual quiserem.

Contemplando acolher as crianças com carinho e atenção, teremos uma equipe promovendo atividades artísticas e recreativas com os filhxs das dançantes.

No entanto, é obrigatório que cada dançante que queira levar seus filhxs leve também um apoio responsável por eles.


O Local da Dança de Lua

Nosso altar será levantado na Aldeia Akasha, Itaipava – RJ, local onde realizamos diversas cerimônias das tradições nativas das Américas, cercado de montanhas, floresta e água cristalina de rio com uma linda estrutura em bio construção.

Para informações e fotos do espaço, acesse a página facebook Aldeia Akasha

Nosso sistema é de acampamento sendo cada dançante responsável por levar sua barraca e tudo o que será indicado após inscrição. Todos somos responsáveis pelo cuidado e limpeza de nosso espaço cerimonial

Criamos um espaço comunitário entre mulheres, homens e crianças sustentados pelo respeito, carinho e cuidado uns com os outros e com tudo o que é sagrado na vida e neste planeta. Somos todos responsáveis pelo cuidado e limpeza do espaço.


O que é ser Dançante de Lua

A Dança da Lua é um caminho de vida transformador, um compromisso de integração profunda e verdadeira com todos os poderes da Natureza, uma oferenda por tudo o que nos dá vida, pela força feminina que à medida que vamos caminhando pela Roda de Medicina a cada ano de dança, vamos acumulando conhecimento, sabedoria e força, harmonizando nossas vidas e ancorando o poder de sermos quem somos, fortalecendo nossos propósitos, realizando nossos sonhos e visões. Nossa Dança é para invocar a força da luz que guia nossos corações. Com isso, vamos enaltecendo o que de mais belo e genuíno há em nós.


Requerimentos

Para ser dançante de lua é preciso estar disposta a:

– Transformar-se, ser capaz de reconhecer sua beleza e poder e de honrar a beleza e o poder de cada irmã que compõe o círculo

– Chegar com disposição e coração aberto para cooperar, fluir e zelar pela unidade, harmonia, alegria, beleza e força da Cerimônia

– Preparar-se adequadamente, cumprir o protocolo da cerimônia e as instruções das guias da Dança, cumprir com os requerimentos de inscrição (preencher o formulário e efetuar o pagamento do valor estipulado).


Compromisso

Toda mulher que chega para dançar tem o compromisso de cumprir com o ciclo de quatro noites de dança e os dois Temazcales diários sem sair do espaço cerimonial.

As mulheres que querem ser dançantes de lua – seguir por este caminho de medicina, poder e responsabilidade – assumem o compromisso de dançar por ao menos 4 anos consecutivos completando com isso uma volta na Roda de Medicina. Estas recebem, no primeiro ano de dança, seu cachimbo lunar de pedra de obsidiana e, ao final de 4 anos, recebem seus bastões, batismo de nome espiritual nessa linhagem de dançantes de lua e as bênçãos para levantarem rezos lunares e iniciam as instruções para correrem Temazcales de lua.

Bem-vindas também a dançar aquelas que não queiram fazer o compromisso de 4 anos.

Durante os dias de dança não será permitido o uso de plantas de poder, cigarros, álcool ou drogas.

Não é permitido gravar ou fotografar durante os dias de Dança.


Apoio

Todo apoio às dançantes é bem-vindo e necessário.

Famílias com filhxs, homens para formar a equipe do Fogo e mulheres não dançantes para formar a equipe da cozinha. Na ficha de inscrição, favor definir a área em que oferece seu serviço

Não será permitida a entrada de nenhuma pessoa para o grupo de apoio sem a devida inscrição prévia


Valores da cooperação

Dançante de lua sem compromisso R$500,00

Para as que vão fazer o compromisso e receber o cachimbo lunar R$600,00

Apoio R$300,00

Crianças até 13 anos não pagam. Maiores de 13 anos R$300,00


Como participar como dançante da lua ou apoio

Necessário que tod@s preencham o formulário de inscrição (um por participante) e sigam as orientações de confirmação contidas no formulário.

As vagas são limitadas. Sua participação só será confirmada após depósito e envio do comprovante.

Ao inscrever-se a dançante da lua será incluída em um grupo Whatsapp onde serão compartilhados o regulamento da dança, instruções de como preparar a vestimenta e os rezos, o que levar, links dos cantos da dança e de carona solidária para que possam ir se preparando da melhor maneira possível.

Por todas as nossas relações, pela vida, pela Terra, pelas futuras gerações.

INSCRIÇÕES: Link

Adriana Ocelot